Notícias ... fique informado

 

 
Por que investir em Comércio Eletrônico
Assine
nosso Informativo
 
Exibindo notícia 4 de 18 notícias.
 
Nova fusão de grandes lojas do varejo
Comércio Eletrônico ( 30/03/2010 )
Fusão da Ricardo Eletro com Insinuante cria 15 mil empregos. A Ricardo Eletro e a Insinuante agora formam uma nova empresa no setor de móveis e eletrodomésticos: a Máquina de Vendas. Ontem( 29/03/2010) , presidentes das duas redes anunciaram a fusão que cria o segundo maior grupo varejista do país.
 
A previsão é de que sejam criadas 15 mil novas vagas de emprego com a abertura de mais 472 lojas até 2014.

A nova rede vai faturar R$ 5 bilhões ao ano e só vai continuar atrás da holding Nova Casas Bahia. A Magazine Luiza agora ocupa o 3º lugar no mercado varejista.

Consumidor terá nova loja virtual

A loja virtual da holding Máquina de Vendas começa a funcionar hoje, trazendo a marca RicardoEletro.com. Na página, o consumidor terá a chance de encontrar mais de 20 mil produtos. A ideia do site é competir de frente com grandes lojas virtuais, como a Magazine Luiza, Americanas.com e PontoFrio.com.

A previsão é de que a loja virtual tenha participação de 5% no faturamento da nova holding, chegando a R$ 250 milhões no ano.

O novo grupo, para ter uma participação próxima da holding Nova Casas Bahia, não descarta a união com a Magazine Luiza, que até semana passada era a 2ª maior rede varejista do país.
Já para os consumidores a junção não é boa

Análise
Maurício Morgado , Professor do Centro de Excelência no Varejo da FGV-EAESP


“A fusão da Ricardo Eletro com a Insinuante não será vantajosa para o consumidor. O mercado de eletrodomésticos e móveis ficará cada vez mais fechado, até porque, há pouco tempo outras fusões ocorreram, como a da Casas Bahia com o Extra e a Ponto Frio. O consumidor vai perder poder de comparação de preços. Pelo lado empresarial, a negociação é um grande avanço e faz parte de um movimento de briga entre as grandes redes de varejo. Vai trazer mais lucro para os donos, mas não vai render preço bom para o consumidor. Para os fabricantes, a negociação será mais acirrada, já que haverá um número menor de redes. E o Magazine Luiza, que perdeu posição, talvez procure também se unir a outro player, como a Colombo ou Pernambucanas”.
 
www.gazetaonline.globo.com  
Fonte: Mikaella Campos ( Gazeta online )  
 
 
Exibindo notícia 4 de 18 notícias.